Pesquisa no setor hoteleiro e gastronômico do Estado mostra níveis caóticos e 59,8% das empresas podem encerrar atividades

10not1abr21

Uma pesquisa realizada entre os Sindicatos de Hospedagem e Alimentação do Estado mostrou números impactantes e preocupantes. Pode-se afirmar que caso o setor não voltar ao trabalho o mais breve possível a situação econômica será caótica. Um dado alarmante é que 59,8% das empresas do setor podem encerrar suas atividades de forma definitiva nos próximos 60 dias em decorrência da crise econômica. Já em relação aos empregos, a pesquisa mostrou que 92,8% das empresas precisaram demitir e apenas 7,2% mantiveram seu quadro de colaboradores completo. Outro ponto importante destacado foi o retorno das atividades e a retomada do fluxo turístico onde 70,9% das empresas acreditam que após um ano do final das restrições poderá melhorar.

Em relação ao faturamento das empresas, cerca de 56,6% tiveram algum tipo de redução de mais de 70%, o que é extremamente significativo no orçamento anual. E 66,1% das empresas possuem dívidas, sendo 26,3% a nível Estadual, 20,6% no plano Municipal e 53,1% a nível Federal.

O setor é unânime e define como imprescindível o retorno das atividades aos finais de semana. O faturamento do setor da hotelaria em finais de semana corresponde a 45,6%. Já para a gastronomia representa cerca de 71,8%. Outro aspecto que vem, prejudicando o setor da gastronomia é funcionamento até às 18 horas. O setor entende que estas atividades devem operar no mínimo até às 22 horas. A pesquisa apontou que em 92,3% das empresas os clientes consomem entre o horário das 19 horas até às 22 horas.

Hoje, ainda, o principal obstáculo para a normalização dos negócios é o cenário da incerteza, apontado por mais de 90% das empresas pesquisadas.

Outros cenários pesquisados:

  • Para 39,4% das empresas, a redução do quadro de colaboradores superou o índice de 30% nos últimos 12 meses.
  • 76,4% das empresas irão demitir mais de 10% do quadro de colaboradores nos próximos dias se não houver apoio estruturante e sólido para o setor.
  • E 92,8% das empresas precisaram demitir.

A pesquisa considerou dados das empresas entre o período de fevereiro de 2020 e fevereiro de 2021 e foi realizada com o Sindicato da Hotelaria, Restaurantes, Bares e Similares da Região das Hortênsias – Sindtur, Sindicato de Hotéis, Restaurantes Bares e Similares de Erechim, Sindicato dos Hotéis de Porto Alegre – Shpoa, Sindicato de Hotéis, Restaurantes Bares e Similares de Pelotas., Sindicato de Hotéis, Restaurantes Bares e Similares de Santo Ângelo, Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região – Sindha, Sindicato dos Hotéis, Restaurantes Bares e Similares de Osório, Sindicato dos Hotéis, Restaurantes Bares e Similares de Santa Maria, Sindicato dos Hotéis, Restaurantes Bares e Similares de Uruguaiana, Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Passo Fundo, Sindicato de Hotéis, Restaurantes Bares e Similares de Garibaldi, Sindicato de Hotéis, Restaurantes Bares e Similares de Novo Hamburgo – SindGastrHô e o Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho.

Sindtur Serra Gaúcha – (54) 3286-1418.

Informações Adicionais

  • Espaço Empresarial
  • Gerson Sorgetz
  • StockSnap / Pixabay
OAB Canela Gramado monta 283 kits de Páscoa e entr...
Centro de Feiras recebe drive-thru neste sábado pa...

Posts Relacionados

By accepting you will be accessing a service provided by a third-party external to https://canela.onde.ir/